Dois mil e quinze está acabando, e como todo fim de ano a gente faz um retrospecto do que viveu, queria contar alguns dos pontos sobre a reviravolta que esses doze meses foram pra mim.

  • Comecei o ano decidida a mudar algumas coisas, planejando trabalhar bastante, buscar um hobby que me distraísse da minha ansiedade e aceitar que precisava me conhecer melhor e descobrir o que havia de errado comigo, pois fazia um tempão que eu não estava bem física e emocionalmente.

  • Fui diagnosticada com início de depressão e síndrome de ansiedade, estou tomando medicação desde então e descobri basicamente o que é viver de verdade. Geralmente o depressivo ouve falar que "conseguimos sozinhos", que só temos que "ter força de vontade"...mas isso é tudo o que uma pessoa na minha situação não consegue fazer sozinha, e eu reconheci que mesmo parecendo uma fraqueza na minha cabeça, eu precisava de ajuda. E agora, quando eu lembro como era, vejo o quanto eu estava doente e fico contente em ter abandonado o esteriótipo do psiquiatra e agendado a primeira consulta. Lembra que lá no começo, eu disse que queria descobrir o que estava errado?!

  • No final de abril tirei dez dias de férias e quando retornei ao trabalho, fui demitida. Mas há males quem vem para o bem!

  • Desempregada e com o apoio total do meu marido, tirei um ano sabático para refletir sobre tudo. Acabei descobrindo o quilling, um artesanato lindo feito com tiras de papel que requer muita paciência. Lembra que eu queria um hobby pra me distrair da ansiedade?! Assim, eu montei meu próprio ateliê, o que tem me deixado muito feliz com a expectativa de poder trabalhar com o que gosto e que me faz bem.




Colocando na balança, as coisas ruins que aconteceram na verdade foram ciclos que se encerraram para que boas coisas pudessem surgir. O engraçado é que quando você pensa que tem tudo planejado, de repente vem a vida e bagunça tudo. Que bom que a vida é assim sapeca! :)

Bye Bye 2015!
Feliz 2016!




 O passado já passou, e se você pensar demais nele, ou você se perde na angústia das coisas que foram malfeitas, ou vai ficar todo enrolado se cumprimentando pelas coisas que fez bem…o que não importa mais, porque elas ficaram no passado, de qualquer maneira. O futuro, entretanto, ainda está por vir - e é sempre divertido olhar para os bons eventos à frente, e também ter a oportunidade de fazer planos para os maus momentos.                    
Onde Habitam os Dragões - James A. Owen

     Me peguei olhando para trás, para uma caminhada cheia de tropeços, pés tortos, pulinhos de menina e quando necessário, saltos altos de mulher. Bateu saudade! Saudade daquela brincadeira de casinha; de observar a mãe fazendo bolo; das noites de sábado divertidas com os irmãos maiores; daquele frio na barriga ao ver aquele menino; da música que fazia meu coração pulsar extasiado; das noites na janela sonhando com o (im)possível...Quem nunca?
A gente precisa encerrar ciclos, mas precisa guardar as boas lembranças que dão significados especiais a cada etapa e enchem de carimbos nosso passaporte da vida.
Curiosamente, encontrei um texto que escrevi pra mim mesma em comemoração a um de meus aniversários, que gostaria de partilhar:


Fazer 24 anos não é pra qualquer um. Você levanta sua ficha e percebe que muitas das coisas que pretendia fazer até essa idade, não saíram exatamente como você planejava. Mas, 24 anos de existência trazem uma mala considerável de aprendizados, e o maior deles é que você não depende de ninguém pra ser feliz. Seja feliz, custe o que custar! Nunca se arrependa de passos dados pra frente, a vida nunca vai ser igual ao que é hoje, e por mais cruel que possa parecer deixar alguém para trás, isso as vezes, é realmente necessário. Agora é sempre o melhor momento; o que não te mata agora, vai com toda certeza te fortalecer no futuro; não tenha medo de parecer boba; invista na beleza do cérebro, pois ela não envelhece, só melhora com o tempo; amor é a maior dádiva de Deus para os seres vivos, então não tenha medo de amar alguém com tudo o que pode, quando esse alguém merecer.
Feliz aniversário Jaque! Que Deus te dê coragem e sabedoria pra enfrentar mais um ano de vida. Amém!

     Três anos depois, posso dizer que tudo isso continua sendo verdade absoluta. A 'mala de aprendizados' está cada vez mais cheia e acredito que essa é mais uma das certezas da vida, a gente nunca deixa de aprender. Aprende com os empregos; com os mais velhos; com as crianças; com os ponteiros do relógio...e a parte engraçada é que você se pega pensando: "Como eu era boba, achando que sabia de tudo".








    Certa vez, encontrei uma lista de Regina Brett, colunista do jornal 'The Plain Dealer' de Cleveland - Ohio, onde ela enumera as 50 lições que a vida lhe ensinou, algo realmente bonito que vale a pena ler.

Para celebrar o meu envelhecimento

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.

2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno.
3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
4. Não se leve tão à sério. Ninguém faz isso…
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, é inútil resistir.
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem ideia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. A vida é muito curta para longas festas piegas. Esteja ocupado vivendo ou esteja ocupado morrendo.
17. Você pode fazer tudo se começar hoje.
18. Um escritor escreve. Se você quer ser um escritor, escreva.

19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
21. Acenda as velas, coloque os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com fluxo.
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para vestir roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade, somente você.
26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras 'Em cinco anos isto importará?'
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todo mundo.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo...
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.

32. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Mantenha contato.
33. Acredite em milagres.
34. Deus ama você porque Ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.

35. O que não te mata, realmente te torna mais forte.
36. Envelhecer ganha da alternativa - morrer jovem.
37. Seus filhos só têm uma infância. Faça com que seja memorável.
38. Leia os salmos. Eles tratam de todas as emoções humanas.
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os problemas dos outros como eles realmente são, pegaríamos os nossos mesmos problemas de volta.
41. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela AGORA!
42. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.
43. Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
44. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
45. O melhor está por vir.
46. Não importa como você se sinta, levante, vista-se e apareça.
47. Respire fundo. Isso acalma a mente.
48. Se você não pedir, você não ganha.
49. Produza!
50. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente!!!


Bom final de semana! 


Foto: via

Você já parou pra pensar na quantidade de coisas supérfluas que você tem ao seu redor?

Sempre tive o costume de fazer o destralhamento de final de ano, separando as roupas que não me serviam mais, os cadernos usados, as provas da escola, enfim, tudo aquilo que não tinha mais serventia pra mim. Esse costume me transformou numa pessoa mais organizada e simples, não gosto de acúmulo. Não serve mais? Doa! Tá quebrado e não tem conserto? Joga fora! Enjoou mais ainda está bom? Que tal vender!? Desfazer-se das coisas sem uso é liberar espaço para coisas novas, energias boas e ainda dar uso aquilo que está estagnado.
Em 2011 passei por uma situação bem difícil, uma enchente que atingiu minha cidade e consequentemente, minha casa. Quando conseguimos voltar a morar nela, faltavam muitas coisas que a água acabou estragando e tivemos que nos desfazer. A partir daí, tivemos que improvisar com o que tínhamos, o que nos deu várias lições, mas a que eu quero utilizar para este post é: não precisamos de muito para viver.

Tendo pouco, aprendemos a dar valor àquilo que temos, haverá mais espaço para organizar nossos pertences, adquirimos uma maior noção daquilo que temos e consequentemente gastamos menos.

Já ouviu aquela frase de que menos é mais?

Pois é, isso vale não só pros pertences, mas também pras relações, pros afazeres, pra saúde e principalmente pras preocupações. Uma vida muito atribulada, onde você é rodeada de pessoas que não te agregam valor e coisas que não atendem às suas necessidades, não é uma vida plena e feliz. Temos que parar e nos fazermos as seguintes perguntas: 

O que realmente importa? 
Quais as pessoas que realmente se importam comigo?
Eu preciso mesmo disso?
Esse sentimento me faz bem?

Menos consumismo é mais saúde pro bolso e pro planeta. Mais simplicidade é menos estresse, menos desatenção, menos apego ao materialismo.

Cultive uma horta em casa, faça a própria comida, leia um livro, desconecte-se, tire um tempo pra ficar só e refletir. Você vai perceber que o tempo passa mais lento, vai se conhecer melhor e vai ver que o mundo gira sem pressa.

Se você parar pra pensar na época mais feliz da sua vida, vai perceber que ela também foi a mais simples.


Experimente a liberdade de ser mais simples e minimalista.


Comprei meu livro de colorir.

Eu sei, tô atrasada! Mas, "antes tarde do que nunca!", certo!?
Há duas semanas atrás, eu estava passeando com minha mãe pelo centro da cidade, e enquanto ela ia à uma loja de cosméticos comprar um shampoo, eu resolvi dar uma olhada na vitrine ao lado: a vitrine do sebo.
Eu adoro livros, adoro gatos e sempre gostei muito de desenho, e quando me deparei com isto:



Não consegui resistir, era a junção perfeita de toda a lindeza do mundo!
O livro foi publicado pelo Editora Sextante, tem o mesmo tamanho dos outros livros de colorir e está cheio de gatinhos fofos em diversas situações.
Eu adorei as páginas, são bem branquinhas e não marcam o outro lado, mesmo você pintando com canetinha.



Pra mim ele está sendo uma boa técnica antiestresse, começo a pintar e quando vejo já se passaram horas sem que eu me desse conta, apenas quando o desenho não fica parecido com a expectativa é que bate um pouquinho de frustração, mas o que me deixa com aquela sensação de "no próximo vou fazer melhor!".
E então, eis-me aqui colorindo pelinho por pelinho, rabinho por rabinho e sendo feliz e desestressada.



A ansiedade é uma reação normal à tudo aquilo que nos deixa apreensivos, em dúvida ou com grandes expectativas como por exemplo, uma apresentação de trabalho, uma prova final, um primeiro encontro, uma entrevista de emprego. Até aí, tudo bem!
O verdadeiro problema começa quando os sintomas da ansiedade persistem e começam a atrapalhar a nossa vida pessoal e social, transformando qualquer situação em sofrimento e agonia. Os sintomas físicos mais comuns são: suor em excesso, taquicardia, dor de cabeça, tensão muscular, inquietação, desregulamento intestinal, aumento na frequência urinária, entre outros.
Se isso vem atrapalhando a sua vida, meu conselho é primeiramente procurar um médico especialista que vai lhe ajudar da melhor forma, orientando um caminho certo para amenizar a ansiedade. Outro ponto importante é usar algumas técnicas que vão ajudar a lhe deixar mais tranquila, como as que listei abaixo:

Respiração - a frequência respiratória precisa ser diminuída, você deve inspirar lenta e profundamente, em seguida expirar de forma lenta tirando todo o ar do pulmão. Essa técnica pode ser feita por uns 10 minutos procurando prestar atenção na respiração e manter as preocupações longe.

Distraia-se! Quando começar a sentir os terríveis sintomas, tente pensar em outra coisa, preste atenção nos detalhes a sua frente, como as cores do céu, o formato da nuvens, a forma que suas coisas estão dispostas sobre a mesa e assim por diante.

Qual é a pior coisa que pode acontecer? Tente se fazer esta pergunta diante de uma situação que lhe deixa insegura, você vai perceber que na maioria das vezes sua ansiedade não tem nenhuma lógica.

Pratique exercício físico ao ar livre, limpa a mente e te deixa disposto.

Pratique ioga - essa arte milenar ajuda a manter a mente tranquila, entre tantos outros benefícios como mostra esse artigo do Mdemulher.


Foto: Pinterest


Por que é tão necessário para muitas pessoas de nossa sociedade moderna, a aplicação de rótulos em todas as relações e situações da vida? Parece que vivemos respondendo àqueles cadernos de perguntas de 5ª série, onde o autor pretende definir um intelecto por simples perguntas de preferência.

Foto: We Heart It

Digo isso, porque a quantidade de comentários que vejo nas redes sociais falando erroneamente sobre o amor me assusta indubitavelmente. Mas aí vai a verdade: Amor não se explica, sente. É simples, e se for complicado não é amor!
Alguma vez você já parou e prestou atenção na sua respiração e quando percebeu, ela não era mais natural? Ela vira uma coisa totalmente forçada, cansativa, e só vai voltar ao normal se você parar de pensar sobre ela. Assim é o amor, você vive e deixa viver. Se parar de respirar - morre, se parar de amar – larga, abandona, esquece, deixa de lado.
Fazendo uma rápida pesquisa na internet, me deparei com a perfeita explicação do que distingue a neurose da normalidade - a intensidade do comportamento e a incapacidade do indivíduo de resolver os conflitos internos e externos.
Não é difícil encontrar postagens que falem sobre amor e o que é amar, livros de autoajuda, músicas depressivas, filmes dramáticos, e o que mais definir a necessidade ferrenha de explicar pra si um sentimento tão simples e desprendido. Deixar de rotular uma relação e viver cada fase dela intensamente é a melhor forma de torna-la duradoura. Me diz, quem é que entra numa relação sabendo a data que ela vai terminar? Você acha mesmo que existem regras que vão ditar se o sentimento é verdadeiro? A época da ditadura acabou faz um tempo, estamos numa nova era onde se canta a liberação sexual e o desprendimento da necessidade de um compromisso sério para ser feliz. O mundo por si já é tão complicado, pra quê complicar também os sentimentos e as relações? Deixemos as neuroses de lado e vamos deixar o coração falar mais alto e as borboletas no estômago baterem suas asas.